REUNÃO DO COMITÉ DE DIÁLOGO SOCIAL DAS TELECOMUNCIAÇÕES, DE 22 DE JANEIRO DE 2018

Imprimir

O Comité de Diálogo Social das Telecomunicações, reuniu no passado dia 22 de Janeiro, cuja reunião se realizou no Centro Albert Borchette, em Bruxelas, em cuja reunião o SINTTAV participou através de seu Presidente que integra o respectivo Comité.

A reunião decorreu como é habitual, entre as 9h00 e as 11h00, realiza-se a reunião preparatória dos Parceiros Sociais e depois segue-se a reunião do Comité.

Presenças: Sindicais, pela UNI, Portugal, Espanha, França, Itália, Estónia, Áustria, Suécia, Alemanha e Dinamarca.

Pelos empregadores: ETNO, Portugal, Alemanha, França e Inglaterra

A seguir se indica a Ordem de Trabalhos e os aspectos mais relevantes que resultaram da discussão em relação a cada ponto, assim:

  1. Aprovação da Ordem de Trabalhos e da acta da reunião anterior. Ponto sem qualquer problema.

     Nesta reunião, como houve rodízio de Presidência, esta passou para a ETNO nos próximos dois anos, cargo que foi ocupado pela PT na pessoa do Dr Luís Silva.

  1. 2.Implementação da declaração conjunta sobre igualdade de género.
  2. 3.O caminho a seguir para acompanhar o alargamento do Comité.

     Foi feita uma abordagem do tema, porque não existem dados que permitam ao Comité ter uma avaliação correcta dos resultados obtidos nas Empresas, mas não é fácil obter um consenso sobre a forma de trabalharmos em conjunto.

      O SINTTAV voltou a fazer a sua critica, reafirmando o que já tem dito tanta vez, que no CDS produzimos muito e bom trabalho, mas depois não conseguimos identificar os resultados obtidos.

      O SINTTAV considera que em relação e este tema, se os Sindicatos fizerem um balanço e as Empresas outro em separado, certamente obtemos resultados   muito dispares, então o ideal seria em cada País, os Parceiros Sociais organizarem-se e fazerem esse trabalho em conjunto e nesse sentido lançou um desafio à PT para saber se esta estava de acordo, ao que esta não respondeu

      Depois foi feita uma discussão sobre a possibilidade de se incluir nas futuras discussões sobre Igualdade de Género um 5º Tema que é a diversidade no local de trabalho, mas não houve consenso, porque há quem defenda que a Igualdade de Género é uma sub-categoria da Diversidade, que este sim é o tema central.

      O consenso que se obteve, foi que até à próxima reunião cada parceiro social procure encontrar alguma ideia sobre a diversidade, para definirmos áreas prioritárias para se poder trabalhar sobre a diversidade.

      Segundo um estudo, neste momento no sector, apenas 23% das Empresas têm mais mulheres que homens.

  • Contribuição dos sindicatos filiados na UNI.
  • ETNO, continuação dos esforços para mapear os empregadores do sector.

            Esta discussão já é antiga, vai-se avançando pouco a pouco, mas neste momento já todo o mundo está de acordo com o alargamento, o maior obstáculo é conseguirmos convencer Empresas que estejam disponíveis para isso.

            A ETNO espera que os Sindicatos consigam indicar empresas disponíveis para    tal.

            O SINTTAV fez uma intervenção no sentido das que tem feito antes sobre este tema, referindo que compreende que existam reticências da parte dos    empregadores que não conhecem como o CDS trabalha, mas quando tiverem          esse conhecimento passarão a ter outro entendimento da importância deste Comité. Neste capítulo cabe à ETNO um papel importante de tentar sensibilizar outros operadores.

  1. 4.Informação sobre o Projecto, “ Bom Trabalho, Boa Saúde”.
  2. 5.Discussão Geral sobre declarações conjuntas:

     Directrizes do que se vai iniciar em Janeiro.

      A Birte deu as informações possíveis sobre o estado do projecto, disse que          inclusivamente o Projecto tem uma designação errada, que tem que ser corrigida.

      O Projecto iniciou-se em 1.12.2017, tem a duração de 17 meses, vai até    31.5.2019.

      Terminará com um seminário.

      Uma questão importante é a publicação do concurso para sabermos a quem se vai adjudicar, que deve ser o mais breve possível.

      Na reunião do CDS de Maio, serão apresentadas as datas de todo o Projecto.

      A base do projecto, tal como o SINTTAV propôs no início, será fazer uma análise à brochura que foi publicado como resultado do anterior Projecto, adaptar o que é adaptável, eliminar o que eventualmente esteja ultrapassado e        incluir o que se julgar conveniente.

      Como o orçamente é muito curto, foi decidido que não se vai fazer nova brochura, a divulgação vai ser em formato electrónico.  

  • Como implementar, acompanhar e avaliar?
  • O que são declarações conjuntas? Uma base de discussão, uma orientação ou outra coisa

            Este tema como já era de esperar, deu para uma grande discussão sem se poder    chegar a conclusões, nem há vontade de ETNO nem de alguns sindicatos.

            O SINTTAV voltou a fazer as suas críticas, disse que todos sabemos que produzimos bons Projectos, já melhoramos no que respeita à divulgação, mas continuamos sem ser capazes de fazer o balanço resultado do nosso trabalho.

            Assim, interrogou sobre o que a UNI e a ETNO podem fazer em conjunto para melhorar este aspecto.

            Será que em cada País os Parceiros Sociais podem trabalhar em conjunto neste levantamento?

            Será que a UNI e a ETNO podem fazer um apelo escrito às suas filiais, sindicais e empresariais, para que trabalhem em conjunto nesta vertente?

           

  1. Apresentação a cargo da Comissão. Foi feita uma apresentação sobre o Estudo da representatividade por um perito Belga.

      Quando se pensava que o Comité ia ter informações concretas, porque o estudo   segundo a responsável da Comissão no nosso Comité, em 2016 tinha informado que o estudo devia estar concluído em Novembro desse ano, não foi nada disso, o perito comunicou que o estudo está atrasado e não sabe se até final do ano fica         concluído.

Filiado em:

Tuesday the 20th.
Template © FreeTemplateSpot - All rights reserved.